Neste sábado, 42 mil postos de saúde abrem para vacinar crianças e jovens

O Dia “D” de mobilização nacional contra o sarampo acontece neste sábado (15) em todo o país. Nesta etapa da campanha devem ser vacinadas crianças e jovens na faixa etária de 5 a 19 anos

[Brasília]O Dia “D” de mobilização nacional contra o sarampo acontece neste sábado (15) em todo o país. Nesta etapa da campanha devem ser vacinadas crianças e jovens na faixa etária de 5 a 19 anos

Os postos de vacinação de todo o país ficarão abertos neste sábado (15/02) para o dia “D” de mobilização nacional contra o sarampo. Nesta terceira etapa da Campanha Nacional de Vacinação o público-alvo são crianças e jovens de 5 a 19 anos. Até o dia 13 de março, a meta do Ministério da Saúde é vacinar 3 milhões de pessoas nesta faixa etária. O dia “D” de mobilização nacional é uma parceria do Ministério da Saúde com as secretarias estaduais e municipais de saúde. O objetivo é reforçar a importância da vacinação desse grupo prioritário e conter o avanço de casos e óbitos pela doença.

Durante o Dia D, os postos de saúde de todo o país abrem no sábado para vacinar crianças e jovens de 5 a 19 anos, público-alvo da campanha. Os horários de abertura desses estabelecimentos variam de região para região. Como programação do dia, a coordenadora-geral do Programa Nacional de Imunizações (PNI) do Ministério da Saúde, Francieli Fontana, participará, pela manhã, da ação de vacinação na Unidade de Saúde Vila Guaíra, em Curitiba (PR). No Rio de Janeiro, estado onde foi notificado a primeira morte por sarampo de 2020, a técnica do PNI, Adriana Lucena, participará da programação no Centro Municipal de Saúde Píndaro Carvalho Rodrigues. A vítima da doença no estado do Rio de Janeiro foi uma criança menor de 1 ano de idade, não vacinada.

“Não é possível termos um óbito sequer de uma criança ou em outra faixa etária por falta de vacinação. Por isso, convocamos todos os pais e responsáveis para garantir a vacinação. Essa é uma responsabilidade de todos”, destacou o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *