Janeiro Roxo: Floriano quer reduzir casos de hanseníase; Em 2019 foram registrados 40 pacientes

[Floriano] – Além da chegada de um novo ano, o mês de janeiro traz consigo a campanha anual de conscientização ao combate à Hanseníase. A hanseníase é uma doença crônica, infecto-contagiosa causada pelo Micobacterium leprae. A transmissão ocorre pelas vias aéreas superiores após contato íntimo e prolongado com um doente sem tratamento. A boa notícia é que existe tratamento gratuito ofertado pelo SUS.

Segundo a coordenadora de Combate à Hanseníase e Tuberculose de Floriano, Milena Portela, no ano passado 40 pessoas foram diagnosticadas com a doença e estão em tratamento. Três delas com menos de quinze anos. “O Ministério da Saúde reforça a importância do diagnóstico precoce, assim o tratamento correto pode prevenir sequelas futuras que a doença pode deixar. Esse é justamente o tema que foi apontado para se trabalhar: a prevenção de incapacidades”, disse.
Caso não tratada em fase inicial, o doente pode evoluir com incapacidades físicas definitivas. Hoje existem 45 pessoas com algum tipo de reação hansênica em Floriano. “Com o início do tratamento o paciente deixa de transmitir a doença para outras pessoas. Ou seja, o diagnóstico precoce e o tratamento correto interrompem a cadeia transmissão da doença, o aparecimento de casos novos e reduz o número de pessoas acometidas por sequelas provocadas pela enfermidade”, lembra Portela.
Floriano já tem uma programação para o Janeiro Roxo que vai envolver toda a população tanto para o tratamento de casos diagnosticados ou a busca de novos casos. A orientação da coordenação é que cada UBS que tiver pacientes com hanseníase terá que fazer uma visita domiciliar com a equipe multiprofissional, fazendo avaliação do paciente e dos contatos, orientação sobre o autocuidado, além de acompanhamento com nutricionista, fisioterapeuta, psicólogo e assistente social.
Já a UBS que não tiver paciente diagnosticado, recomenda-se fazer busca ativa de casos novos. “No dia 20 está previsto nosso dia D no Assentamento Coelho e dia 28 deste mês acontece a terapia comunitária para pacientes com hanseníase e reação hansênica, na Estação Cidadania Nivaldo Junior”, disse Milena Portela.
Seccom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *