Representantes do Brasil e mais cinco países discutem Gestão e Regulação do Trabalho em Saúde

Realizado no Centro Internacional de Convenções do Brasil (CICB), o evento contou com a participação de especialistas da área da Saúde de diversos países. Em pauta Dimensionamento no Sistema Único de Saúde (SUS), Negociação Coletiva, a agenda 2030, entre outros temas.

Durante a abertura do evento, o secretário de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, Rogério Abdalla lembrou que uma boa gestão é fundamental para que os usuários do SUS usufruam de um serviço de qualidade. “Ter bons profissionais e recursos para investir nas políticas públicas de saúde é importante, mas a gestão deste trabalho é essencial. Que este encontro possa oferecer as informações necessárias para que vocês, participantes, possam fomentar práticas de inovação, gestão e regulação do trabalho em seus territórios”, ressaltou.

Desde que assumiu a secretaria, Abdalla obteve com sua equipe muitos avanços no âmbito de Gestão e da Regulação do Trabalho em Saúde, a começar pela reativação da Câmara de Regulação Profissional em Saúde, um importante espaço coletivo, cujo objetivo é a discussão de aspectos  relativos ao exercício de profissões de saúde, que conta com a representação do Ministério da Saúde, Trabalho e Educação, Conselhos Profissionais da área de Saúde, Entidades Sindicais, Entidades Científicas e Conselhos de Secretários Estaduais e Municipais de Saúde.

Outro importante avanço da Secretaria, por meio do Departamento de Gestão e da Regulação do Trabalho em Saúde (DEGERTS), foi a celebração dos termos de compartilhamento de dados com os Conselhos Profissionais de Saúde, pelo qual está sendo possível a ampliação das bases de dados de Gestão do Trabalho no SUS e, consequentemente, a extensão do rol de recursos para o fomento a elaboração de políticas públicas.

A diretora do DEGERTS, Ana Paula Schiavone, ressaltou a importância do evento para as políticas públicas na área da gestão do trabalho. “Essa troca de experiências contribuirá para a disseminação das práticas do SUS em âmbito internacional. Assim, poderemos colaborar para a atualização de melhores práticas que estão sendo desenvolvidas em países modelos”, afirmou.

Fonte: Ministério da Saúde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *