BRASÍLIA – Acordo de Resultados inclui metas da Saúde para 2018

A Secretaria de Saúde participou, nesta quarta-feira (21), no Palácio do Buriti, da assinatura do termo simbólico dos Acordos de Resultados e do lançamento do Programa de Capacitação em Alta Liderança, para qualificar 320 gestores públicos do Executivo local.

Em uma parceria entre o governo de Brasília e a Fundação Dom Cabral – considerada uma das melhores instituições de educação executiva do mundo, serão qualificados líderes estratégicos (80), táticos (160) e gestores (80), entre eles, profissionais da Secretaria de Saúde.

“Essa capacitação será feita a partir do próximo mês. É um investimento do governo em melhoria da qualidade da gestão estratégica na Secretaria de Saúde. Vamos ter uma grande capacitação de gestores de todas as áreas do governo, desenvolvida ao longo do ano, e que deixará um legado para o DF”, destacou o secretário de Saúde, Humberto Fonseca.

Já o Acordo de Resultados é um documento no qual os secretários e dirigentes de entidades governamentais se comprometem a atingir metas para a melhoria dos serviços públicos, por meio de projetos e o acompanhamento de indicadores de desempenho. O compromisso, firmado anualmente desde 2016, foi assinado pelo governador Rodrigo Rollemberg e pela secretária de Planejamento, Orçamento e Gestão, Leany Lemos.

Os indicadores visam o alcance dos objetivos do governo, que compõem o mapa estratégico fixado para o período de 2016 a 2019, com o slogan “Orgulho de Viver em Brasília”.

No caso da Saúde, foram 14 indicadores estabelecidos para 2018, cada um com sua meta:

. Zerar o número de leitos de UTI regulados indisponíveis;

. Ampliar para 70% a cobertura da Estratégia Saúde da Família (ESF); para 75% a proporção de nascidos vivos de mães com sete ou mais consultas de pré-natal; e para 50% a cobertura de acompanhamento das condicionalidades de saúde do Programa Bolsa Família;

. Aumentar para 0,60% a cobertura dos Centros de Atenção Psicossocial; para 96% o índice de disponibilidade de medicamentos da atenção básica na rede; para 96% o de medicamentos de média e alta complexidade na rede; para 50% o de insumos de laboratório; e para 96% o de materiais médicos.

. Fixar a taxa de incidência de dengue na população para 300 pessoas por 100 mil habitantes;

. Alcançar a proporção de 95% de vacinas do calendário básico de vacinação da criança com coberturas vacinais; e para 7,5% de absenteísmo de profissionais da saúde, observada cada categoria profissional;

. Ter 5% de aumento do faturamento no bloco de financiamento da Média e Alta Complexidade da Secretaria de Saúde;

. Disponibilizar 1.476 bolsas de estudo de residência médica e de áreas de profissionais da saúde.

De acordo com o governador Rodrigo Rollemberg, o governo já tem melhorado seus indicadores em várias áreas da Saúde. “Especialmente com a ampliação da capacidade da rede de atenção primária, que era uma das questões consideradas fundamentais para organizar todo o sistema de saúde. Já estamos percebendo os primeiros resultados disso”, comentou.

Outro exemplo citado pelo governador foi a recente mudança no modelo de gestão do Instituto Hospital de Base do Distrito Federal (IHBDF). “Esse também já apresenta resultados muito significativos, como a redução nos prazos de compra de medicamentos e recuperação de equipamentos”, apontou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *